Empregado Rural Boa Vista, Roraima

Informações sobre Empregado Rural em Boa Vista e região. Encontre aqui endereços e telefones de serviços e empresas em Boa Vista, além de artigos sobre Empregado Rural.

Sine - Sistema Nac Empregos
(95) 3623-2191
Avenida Mário Homem de Melo 2310
Boa Vista, Roraima
 
Labor
(95) 3224-1104
av Benjamin Constant, 1020 E sala 25, São Vicente
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Disque Emprego
(95) 3623-2983
r Mário Homem Melo, 2200, Mecejana
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Sine - Sistema Nac Empregos
(95) 3623-2191
Avenida Mário Homem de Melo 2310
Boa Vista, Roraima
 
Brasil Sat
(95) 3224-6282
av Ville Roy, 7354 lj. B, São Vicente
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Almiro F de Souza Me
(95) 3224-1092
r Pedro Rodrigues, 1296, Mecejana
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Atlântica Serviços Gerais
(95) 3623-1523
r Gal Penha Brasil, 102, Centro
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Brasil Sat
(95) 3224-6282
av Ville Roy, 7354 lj. B, São Vicente
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Atlântica Serviços Gerais
(95) 3623-1523
r Gal Penha Brasil, 102, Centro
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Almiro F de Souza Me
(95) 3224-1092
r Pedro Rodrigues, 1296, Mecejana
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Empregado Rural

Empregado Rural O empregado rural conta com uma série de direitos previstos em lei. É necessário, todavia, atentar para certos detalhes, já que as leis que o regem são diferentes das que apontam as diretrizes para o trabalhador urbano. Pode-se conceituá-lo como aquele que presta serviços, em propriedade rural, de natureza não eventual, com subordinação e pagamento de salário. Os serviços podem ser prestados ainda em prédios rústicos. Definido este conceito, é possível partir para os direitos desse empregado, que são estabelecidos pela Lei 5.889/73 e ainda a Constituição Federal do ano de 1988.Empregado Rural: Jornada de Trabalho Quanto à jornada de trabalho, a Lei apresenta determinações bem específicas, prevendo um horário de intervalo que pode variar entre uma e duas horas para repouso. Importante salientar, todavia, que essas horas não contam para a jornada, que não pode ultrapassar o limite de oito horas diárias, sendo obrigatório o pagamento, caso ultrapassado o limite, de horas extras. Sobre tal pagamento incide um adicional mínimo de 20% e o tempo total não pode ser maior que dez horas, exceto se convencionado para o término de serviços inadiáveis. Neste caso, a partir da décima hora o adicional passa ser de 25% e o limite de doze horas não pode ser extrapolado em hipótese alguma. É possível, ainda, utilizar a prorrogação de duas horas (no máximo) para compensar eventuais jornadas de duração inferior nos dias anteriores. Essa regra, porém, está limitada ao total de quarenta e cinco dias no ano a serem compensados, sendo necessária ainda uma autorização prévia de autoridade competente. Outro detalhe importante está relacionado à jornada noturna, onde há uma diferença em relação aos setores, sendo que na pecuária o horário vai das 20h às 4h e no setor agrícola das 21h às 5h. Deve-se destacar, também, que a hora noturna do empregado rural é de 60 minutos, ao passo que, para o trabalhador urbano é considerado como hora noturna o tempo de 52 minutos e meio.Empregado Rural: Demais DireitosÉ assegurado o salário mínimo, sendo obrigatório observar o piso da categoria. Outros direitos estendidos ao empregado rural são os adicionais, tanto de insalubridade quanto de periculosidade, que foram concedidos pela Constituição Federal de 1988. Há um aspecto importante que é o “salário in natura”, quando o empregador fornece ao empregado a moradia, ou alimentação. Neste caso, pode haver o desconto entre 20% e 25% do salário, que pode ser dividido se diferentes trabalhadores residirem juntos. Existe a previsão, considerada inconstitucional por alguns juristas, da demissão por justa causa motivada pelo avanço da idade do trabalhador para o serviço, o que precisa ser atestado por perícia médica a cargo da DRT. Quanto à rescisão do contrato de trabalho, é previsto o descanso por um dia da semana em caso de aviso prévio por demissão injusta, tendo o trabalhador ainda o prazo de trinta dias, findo o contrato, para desocupar o imóvel em caso de moradia fornecida pelo empregador.Empregado Rural: Outras Informações É muito importante para o empregado rural conhecer os seus direitos, a fim de evitar abusos e prejuízos, devendo sempre buscar os procedimentos corretos para preservar o que lhe foi assegurado. Outro artigo interessante da lei que o rege, determina ao proprietário rural a obrigação de, em caso de possuir um número superior a cinquenta famílias de trabalhadores, manter uma escola de ensino primário gratuita em funcionamento para os filhos dos empregados. Medidas como essa enfatizam cada vez mais a importância da educação na formação do ser humano. É possível, ainda, obter maiores informações sobre educação, encontrado cursos de qualidade através do site Cursos 24 Horas. 0 Comments